Alimentação

Não somos de modo algum especialistas em nutrição, portanto iremos resumir este tema apenas a um conjunto de dicas que podem ajudar na altura de escolher, bem como referir alguns dos tipos de comida disponível para os nossos peixes e invertebrados de aquário.

Comida seca

A comida mais fornecida por aquaristas por esse mundo fora, existe de várias formas: em flocos, grânulos, sticks, pastilhas, liofilizada, etc. Há para todos os gostos e feitios. No entanto é um pouco vista como Fast Food para os peixes. Felizmente existem muitos fabricantes, com diferentes fórmulas, o que, para o consumidor, significa, ter muito por onde escolher.

Vantagens:

  • Maior capacidade de conservação, devido á ausência de humidade
  • É produzida em massa, e como tal, é geralmente mais barata
  • É comum possuir aditivos vitamínicos
  • Existe em vários tamanhos e formas
  • Variam também na forma como afundam ou se mantêm á superfície
  • Disponível até nos hipermercados

Desvantagens:

  • Pode conter um baixo valor nutricional comparativamente a outros tipos
  • É comum possuírem compostos que nada têm a ver com a alimentação dos peixes na natureza (por exemplo: cereais)
  • Contêm corantes e conservantes

Comida Congelada

Essencialmente estamos a falar de crustáceos e invertebrados, pescados ou cultivados, que são congelados, e comercializados em embalagens e blisters através de serviços especializados de aquáriofilia. É uma excelente alternativa a comida viva, mais de acordo com o que os peixes comem na natureza. A maior desvantagem é mesmo a necessidade em ser conservada congelada. Isto levanta algumas preocupações, não só no que diz respeito á nossa própria capacidade em manter a comida apta para consumo, mas a capacidade dos distribuidores e logistas em conservar a comida durante o transporte. Esta comida deve ser descongelada alguns minutos antes de ser dada aos peixes, e, preferencialmente, o seu conteúdo deve ser "peneirado", de forma a retirar a água suja e pequenas partículas que não sejam consumidas pelos peixes.

Vantagens:

  • Alto valor nutricional
  • De um modo geral os peixes aceitam prontamente
  • Comida muito aproximada ao que os peixes comem na natureza

Desvantagens:

  • Tendência para poluir mais o aquário
  • Conservação adequada é essencial
  • Afunda rápido, o que pode não ser ideal para algumas espécies
  • Disponível apenas em lojas especializadas

Comida Viva

Se os seus peixes falassem, certamente iriam pedir que lhes fosse sempre dada comida viva. Crustáceos, vermes e outros microrganismos, são cultivados propositadamente para serem dados aos peixes, como alimento. Estes despertam o instinto de predador dos peixes e eles adoram. Alguns peixes específicos, principalmente aqueles que são fruto de captura no seu meio ambiente ou recém-nascidos, demoram bastante tempo a habituarem-se a comer comida processada, sendo comida viva decisiva para a sua sobrevivência. Mesmo alguns criadores particulares possuem culturas simples para os seus peixes. Vermes, Artémia, Dafnias, entre outros, são relativamente fáceis de eclodir e manter sem grandes custos.

Vantagens:

  • Excelente aceitação pelos peixes
  • Bom valor nutritivo
  • O que não é consumido de imediato, muitas vezes sobrevive no aquário

Desvantagens:

  • Por muito simples que seja manter estas culturas, carecem sempre de algum trabalho e disciplina
  • Mais utilizada como suplemento ou pontual, e não tanto como comida base

Dicas

  • Verifique sempre a validade da comida;

  • Variedade é a palavra-chave para proporcionar a alimentação mais rica e completa para os seus peixes.
  • Evite que comida permaneça em ambientes húmidos ou exposta ao sol;
  • Forneça apenas o que os peixes consumirem num curto espaço de tempo;
  • Se a comida chegar ao solo e não for consumida pelos peixes, considere dar menos, ou alterar o tipo de comida para alguma que se mantenha na coluna de água por mais tempo (por exemplo flocos);
  • Evite ao máximo descongelar comida congelada desnecessariamente;
  • Peixes herbívoros, como certos loricarídeos, necessitam de comida especializada. Á falta de comida seca própria, ou em gel, pode fornecer vegetais levemente cozidos, como courgette, pepino, abóbora, entre outras. Coza ao ponto em que a comida afunda. Retire o interior mais mole e sementes, e forneça o resto. Se no dia seguinte sobrar vegetais no aquário, forneça menos quantidade.

  • Se tiver dificuldade em abrir os blisters de comida descongelada, passe um pouco de água na parte da frente. Ao pressionar, deverá sair com facilidade;
  • Se tiver possibilidade, escolha dar comida 2x/dia em menores quantidades, do que 1x/dia em maior quantidade;
  • Aconselha-se sempre a adequar o tamanho da comida á boca dos peixes. E lembre-se, peixes maiores conseguem comer pedaços mais pequenos, mas peixes pequenos não conseguem comer pedaços maiores
  • Recorde-se que comida seca tem tendência em "inchar" dentro de água, o que pode levar a obstruções no sistema digestivo dos peixes. Procure dar pedaços mais pequenos do que parece ser ideal ao olhar para a comida na embalagem;
  • Investigue sempre o tipo de comida mais adequada para o seus peixes. A maioria são micro-predadores oportunistas, alimentando-se de insectos e pequenos invertebrados aquáticos. Sempre que possível tente obter informações sobre o que criadores profissionais fornecem;